Djimby: A Graça de uma Avó

Djimby pode ser pequena, mas não é nada menos que ponderosa. A força de vontade e independência da garota de apenas 6 anos de idade foi herdada de sua avó, Ndeye, cujo exemplo ajudou a instaurar esses valores na sua netinha. Porém, A personalidade forte de Djimby não pode esconder a condição dolorosa que a garotinha teve que suportar durante a maior parte de sua vida.

Quando Djimby era um bebê, seus pais perceberam que suas pernas não eram retas, como àquelas das outras crianças. Ela havia desenvolvido uma condição chamada genu valgum, o que dificultava que ela ficasse de pé ou caminhasse. Um dia, enquanto visitava a família, Ndeye reparou uma diferença muito grande entre Djimby e suas irmãs e primas – não apenas física, mas de habilidade. Isso a preocupou muito.

“Não podia ver uma de minhas netas sofrer sem fazer nada” Ndeye disse. Então ela acolheu à Djimby e jurou para si mesma encontrar uma maneira de curá-la.

Durante os três anos seguintes, Ndeye tentou encontrar uma maneira de curar a pequena mas parecia sempre deparar-se com becos sem saída. À medida que Djimby crescia, Ndeye sabia que se aproximava o momento no qual ela teria que ir para a escola. Ela também sabia que se as pernas de Djimby não se endireitassem, ela não poderia ir. Djimby constantemente acordava com muita dor, e já que a escola não estava perto de sua casa, a caminhada seria longa e dolorosa.

Apesar das dificuldades encontradas, Ndeye jurou seguir com sua empreitada, dizendo, “Eu tenho saúde, posso andar. Enquanto eu estiver viva, vou estar buscando uma solução”.

Essa perseverança servia de força motriz, ainda quando parecia não haver esperança. Vizinhos, amigos e até familiares diziam para que ela desistisse, honestamente pensando que não havia solução. Mas Ndeye se recusava desistir porque sua fé em Deus fazia com que ela acreditasse que, um dia, Djimby seria curada.

A solução que Ndeye buscava apareceu da maneira mais inesperada e quando ela menos imaginava. Uma tarde, um vizinho passou com uma notícia incrível – Havia um navio-hospital a caminho do Senegal com médicos voluntários que realizavam cirurgias gratuitas à quem precisasse.

Pouco tempo depois, Djimby e sua avó estavam a caminho de Dakar, onde estava ancorado o Africa Mercy. A capital está cerca de 220 km sudoeste de sua casa, mas a viagem valeu a pena. Uma vez que Djimby passou pela triagem cirúrgica, lhe deram uma data para a operação. Com a cura finalmente à vista após tantos anos de busca, Ndeye sentiu-se mais esperançosa que nunca.

A cirurgia era apenas a primeira parte da jornada de Djimby de cura complete. Meses de reabilitação foram necessários para manter a correção conseguida na sala de cirurgia. Seguindo o exemplo de sua vó, a determinação e o foco de Djimby eram implacáveis. Dia após dia,

Djimby fazia com que suas pernas movessem, um pé em frente do outro, até que o dia finalmente chegou para que Djimby e sua avó pudessem voltar para casa.

Agora, depois do êxito da cirurgia e do tempo de reabilitação, Ndeye acredita que Djimby terá um future mais próspero. Em breve, Djimby poderá ir à escola, totalmente curada, e totalmente ereta pela primeira vez em sua vida.

“Mercy Ships me fez esquecer dos últimos dois anos de sofrimento”, disse Ndeye. “Espero que Djimby transforme a vida de outras pessoas, da maneira que Mercy Ships transformou a sua vida”.